Conheças os diferentes tipos de mandioca e suas aplicações!

7 minutos para ler

A melhor pedida é sempre dar uma variada no cardápio, especialmente quando o ingrediente utilizado para diversificar a alimentação é fonte de substâncias e nutrientes preciosos, figurando entre os destaques da alimentação saudável no Brasil. Assim, os diferentes tipos de mandioca sobressaem em função dos carboidratos de alto valores energéticos presentes em sua composição.

Neste artigo você vai saber tudo sobre a raiz: o que é, onde surgiu, sua diversidade de nome em nosso país, além dos principais tipos de mandioca e os benefícios para quem adota esse poderoso alimento em sua dieta. Confira!

O que é mandioca?

A mandioca é uma raiz tuberosa comestível originária do continente americano, chamada por diferentes nomes em várias regiões do Brasil. É conhecida como macaxeira, aipim, macamba, castelinha, maniva, pão-de-pobre, entre outros. Seu período de safra acontece entre os meses de janeiro e julho.

Antigamente seu cultivo era exercido especialmente pelas tribos indígenas da América Latina, com exportação para outros continentes, principalmente para a África. Em algumas tribos, a mandioca ainda se sustenta como base da alimentação e o hábito de consumo dela ainda persevera cada vez mais forte em todo o país.

Trata-se de um alimento rico em fibras e potássio, além de ser uma ótima fonte de folato, vitamina C, resveratrol e saponinos. Tem alto valor energético, o que significa que para cada 100 gramas de mandioca, tem aproximadamente 150 calorias. Em sua composição, a raiz ainda conta com sais minerais (ferro, cálcio e fósforo) e vitaminas do complexo B.

Quais os principais tipos de mandioca?

A casca desse tubérculo é marrom e fina. Por sua vez, seu interior é branco e algumas espécies têm uma coloração amarelada. A seguir, apresentamos os dois principais tipos de mandioca e suas características.

Mandioca mansa

A mandioca de mesa, também conhecida como mandioca mansa ou Upirá, é voltada para o consumidor final.

Essa espécie conta com alto teor de carotenoides, que é o precursor da vitamina A. Ainda que não possa ser comparada a outros alimentos que contém essa substância, o consumo desse tipo de raiz é capaz de suprir parte das necessidades de ingestão diária de vitamina A.

Ela é ingerida nos mais variados formatos: em purês, biscoitos, bolos, pudins, ou simplesmente em caldo, cozida ou frita com temperos frescos. Trata-se de uma variedade que não precisa ser processada, porque o seu teor de ácido cianídrico (não tóxico) é muito baixo. Por fim, a mandioca mansa deve ser colhida um ano após o plantio.

Mandioca brava

A mandioca União, chamada de amarga ou brava tem em sua composição alto teor de ácido cianídrico, extremamente tóxico aos animais e ao homem.

Essa espécie, na indústria, precisa ser submetida a secagem por meio de técnicas de detoxificação antes de ser consumida. Diante disso, seu processamento industrial é necessário, até que vire polvilho, farinha, raspa ou fécula, compondo um bom mix de produtos.

Assim sendo, a brava produz aproximadamente 20% a mais de amido que os outros tipos de mandioca. Normalmente é colhida entre 15 e 24 meses após o plantio e tem viabilidade econômica maior que das outras espécies, mesmo com a colheita tardia.

Quais os benefícios de quem inclui mandioca no cardápio?

Além de ser consumida de diversas maneiras por culturas variadas, se preparada com boas práticas de manipulação, a raiz de mandioca é um alimento muito saboroso e conta com inúmeros benefícios, entre os quais citamos abaixo.

Combate a artrite

Existem duas substâncias que têm ação analgésica e anti-inflamatória, chamadas de polifenóis e saponinos, que estão presentes em quantidades significativas na mandioca.

Diante disso, sua utilização deve ser considerada como complemento ao tratamento de alguns males osteoarticulares, como a osteoartrose e a artrite reumatoide.

Tem ação antioxidante

Um dos polifenóis que a raiz de mandioca apresenta é o resveratrol, marcante por sua poderosa ação antioxidante. Por isso, sua ingestão ajuda a combater os radicais livres que têm a capacidade de oxidar as células e possivelmente levam ao surgimento de diversos tipos de câncer.

Além disso, a vitamina C — que atua como antioxidante da mesma forma — retarda o envelhecimento do corpo. Também combinado ao folato, que ajuda com o crescimento das unhas e combate a acne, esse polifenol traz benefícios de maneira considerável para a saúde geral da pele e até para os cabelos.

Auxilia no tratamento de diabetes

As pessoas que sofrem de diabetes precisam saber que a mandioca é um alimento muito bem recomendado pelo fato de conter fibras, que contribuem para o controle do peso e prolongam o processo digestivo. Isso ajuda o organismo a regular naturalmente as quantidades de açúcar no sangue.

Contribui para a saúde dos ossos

Atuando como fontes de proteína e vitamina K, as folhas da mandioca desempenham um papel importante na reconstrução óssea.

Além disso, a produção de colágeno é impulsionada pela vitamina C, e ele é uma substância capaz de melhorar consideravelmente a saúde dos músculos, tecidos, cartilagens e também dos ossos.

Atua como fonte de energia

Quem é praticante de atividade física de alta intensidade precisa considerar o alto volume de carboidratos da mandioca, visto que essas pessoas precisam de muita energia para concluir seus treinos.

Seu consumo pode até acontecer no preparo de comida congelada, para trazer mais praticidade ao dia a dia de quem não tem muito tempo.

Bloqueia a ação dos raios solares

O resveratrol, presente no alimento, ajuda na prevenção de danos provocados pela ação dos raios ultravioletas. Porém, não pode ser considerado um protetor solar.

Na verdade, essa substância fornece uma camada extra de proteção à pele, com o fortalecimento dos tecidos da derme. Dessa forma, aumenta a resistência das células em relação aos raios solares.

Não contém glúten

A boa notícia para quem sofre de doença celíaca (intolerância ao glúten) e se preocupa com a segurança alimentar é que qualquer variação de todos os tipos de mandioca não contém essa substância, portanto pode consumir sem receios.

Protege o coração

Um dos principais benefícios da mandioca é a prevenção de doenças cardiovasculares, principalmente infartos e aterosclerose, porque ela apresenta uma série de nutrientes que fortalecem o coração.

Por sua vez, devido ao fato de que ela melhora a saúde dos tecidos sanguíneos, o consumo da raiz ajuda também na prevenção de acidente vascular cerebral (AVC).

Beneficia as grávidas

Além de permitido, a mandioca é um alimento até bastante recomendado para as grávidas, graças à grande quantidade de ácido fólico presente em sua composição. Esse nutriente colabora com a formação do tubo neural do feto.

Aipim ou macaxeira, não importa como esse alimento é chamado na sua região. Independentemente do nome, qualquer um dos tipos de mandioca é muito amado e consumido pelos quatro cantos do Brasil.

Se você gostou deste post e quer aprofundar um pouco mais no assunto, saiba o valor nutricional da mandioca e seus benefícios para a saúde!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-