Entenda o que é Custo de Mercadoria Vendida (CMV) e como calcular

6 minutos para ler

Com o objetivo de que seu negócio obtenha ganhos mais atrativos, existe a necessidade de entender alguns conceitos de gestão. Por meio deles, você tem dados eficazes que servirão para aperfeiçoar produtos, além de analisar se o seu público de fato está satisfeito com o seu negócio.

O Custo de Mercadoria Vendida, também conhecido como CMV, é um exemplo claro: a partir desse cálculo, existe a possibilidade de saber exatamente o que foi gasto e o que foi ganho a partir da venda.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo para que você saiba o que é, qual a sua importância, como calcular e quais fatores devem ser levados em consideração. Boa leitura!

O que é o Custo de Mercadoria Vendida?

Inicialmente, deve-se destacar que o CMV não pode ser confundido com o lucro, pois são variáveis diferentes e que exigem a análise de fatores distintos para obter os resultados.

O Custo de Mercadoria Vendida nada mais é do que o valor gasto pelo seu negócio para produzir e armazenar determinado produto, desde as etapas iniciais até que a venda seja concretizada. A partir desse resultado, você obterá o lucro bruto.

Para que o conceito fique mais claro, vamos a um exemplo prático no ramo de alimentos. Sempre quando efetua uma venda, é sabido que aquele valor adquirido não é o seu lucro total.

Existiram custos para que ele fosse adquirido e/ou produzido, desde o pagamento de fornecedores até ao seu armazenamento. Todas essas despesas precisam ser descontadas do valor total, de modo que você entenda quanto ganhou com aquele negócio.

Isso é o CMV! Alguns fatores que merecem a atenção do gestor para o seu cálculo são:

  • custo para adquirir alguns insumos ou matérias-primas;
  • lucro obtido a partir da venda daquele produto;
  • serviços que foram realizados até que a venda fosse concretizada;
  • dinheiro gasto com transporte da mercadoria;
  • custo de mercadoria não vendida.

Como calcular o CMV?

Para iniciarmos a explicação sobre como calcular o CMV, é preciso que esteja clara a definição de lucro. Trata-se da diferença de tudo o que você ganhou na venda dos produtos pelo dinheiro que gastou, incluindo impostos e taxas. O lucro bruto é basicamente isso, com a diferença que você não vai descontar as taxas nem os impostos.

Com o objetivo de contar com o valor exato de qual foi o seu ganho, é preciso entender o Custo de Mercadoria Vendida. Sendo assim, você vai analisar qual foi a diferença ocorrida no seu estoque no período de um mês, acrescentando quais foram as compras feitas durante esse tempo.

Tem-se, então, a fórmula do CMV:

CMV = EI + C – EF, em que EI é o estoque inicial, C compras e EF estoque final.

O que é necessário saber para uma gestão mais eficaz?

Alguns fatores precisam ser considerados no momento de entender o valor exato do seu CMV. A seguir, confira quais são os principais!

Gestão de estoque

Conforme explicado, o estoque é um dos principais pontos na fórmula do CMV. É preciso ter a consciência de que estoque parado gera gastos para o negócio. É aquela famosa frase: estoque é dinheiro parado! Há o armazenamento que pode precisar de energia, o tempo gasto pelos seus colaboradores para fazer esse gerenciamento, entre outros. Dessa forma, existe a necessidade de analisar qual é o tempo que os seus produtos ficam parados em sua empresa.

Visando traçar estratégias mais precisas, esse entendimento vai aperfeiçoar as suas ações em um balancete anual, além de permitir dados que permitam melhores resultados.

Para o cálculo do CMV, não há a possibilidade de chegar ao valor correto caso o período que um produto X foi estocado não esteja claro entre os gestores do negócio, exigindo um bom controle nesse sentido.

Compras e vendas

O primeiro passo para isso é o registro das informações. Você só terá uma análise com menores chances de erro se estiver tudo com acesso facilitado sempre que precisar consultar. Ou seja, assim que produtos saírem ou que você adquirir novos itens com fornecedores, é preciso que essa informação esteja disposta de forma organizada, bem como o dinheiro gasto e o dinheiro ganho nessa transação.

Estabeleça ainda uma periodicidade para checar esses dados, de modo que contribua para que haja soluções caso algum erro venha a ocorrer. Especialmente no ramo de alimentos, também é preciso ter uma atenção mais focada em produtos perecíveis, justamente por ocasionar em prejuízo caso o limite estabelecido seja ultrapassado.

Assim, caso a sua equipe perceba que há esse risco, é possível elaborar ações em redes sociais ou até mesmo promocionais, tornando os itens mais atrativos e aumentando a sua rotatividade.

Processos e equipe

Conforme explicamos, é preciso que tenha uma periodicidade nessa verificação. Para isso, estabeleça processos, seja diários, seja semanais, seja mensais, permitindo que cada colaborador entenda qual é a sua função dentro desse contexto.

Por falar nos funcionários, eles precisam estar envolvidos nessa rotina. De nada adianta ter um mapeamento de todas as etapas dos seus processos se os profissionais não as seguirem corretamente, concorda?

Faça uma reunião, explique a importância que isso traz para o negócio como um todo e faça com que eles compreendam o papel individual que vai fazer diferença nos resultados.

Fornecedores

Contar com um alinhamento com seus fornecedores também vai permitir que o CMV esteja em um valor dentro do que é esperado. O mais indicado é criar um calendário com a compra prevista dos seus itens — fato que será possibilitado a partir de um controle mais rígido de seu estoque.

Entre as vantagens de contar com uma boa gestão de fornecedores, destaca-se ainda:

  • redução de impacto negativo quanto aos seus processos, produtos e serviços;
  • redução de falhas;
  • possibilidade de implementar metas que tragam melhores resultados;
  • segurança no momento de cumprir prazos com os seus clientes.

Uma empresa que conta com o seu Custo de Mercadoria Vendida (CMV) alto, é um sinal de que alguma ponta dos processos não está saindo conforme o esperado. Sendo assim, é preciso buscar por ações que melhorem os números como um todo, possibilitando destaque competitivo e também maiores chances de crescimento.

E você, já faz esse cálculo em sua empresa e/ou deseja iniciar? Compartilhe a sua experiência com a gente!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

-