Conheça as boas práticas de fabricação de alimentos

7 minutos para ler

Entender a importância das boas práticas de fabricação de alimentos para que todos os produtos sejam produzidos de modo que o cliente final tenha a sua expectativa atendida é essencial à sustentabilidade dos negócios. E isso é necessário em diferentes contextos, pois as empresas que fornecem gêneros alimentícios precisam estar atentas a esses detalhes e seguir as normas de segurança alimentar.

Nessa perspectiva, vamos mostrar como a adoção de boas práticas de fabricação de alimentos pode representar lições de empreendedorismo e ainda se tornar um fator decisivo quanto à concorrência no mercado.

Neste post, veja a importância de seguir a legislação, primar pela qualidade e pelos princípios de segurança alimentar na fabricação dos produtos que serão repassados aos clientes. Confira, ainda, como a adoção dessas medidas pode gerar impactos na imagem da empresa e na competitividade de mercado. Acompanhe!

Por que investir em boas práticas de fabricação de alimentos?

As boas práticas de fabricação (BPF) de alimentos são determinadas por um conjunto de medidas de grande relevância para garantir mais segurança aos serviços das indústrias de alimentos e também pelos estabelecimentos que fornecem alimentação. A meta é priorizar o cumprimento dos princípios de qualidade sanitária e a atuação em conformidade com os regulamentos técnicos.

Listamos as razões que justificam esse processo. Veja quais são elas a seguir:

Adequação às normas de segurança alimentar

Priorizar essa conduta é uma maneira de se adequar às normas de segurança alimentar. De origem inglesa, o termo “food security” é amplamente empregado como um conceito ligado às políticas públicas que tornam os alimentos básicos mais acessíveis aos cidadãos.

Nesse sentido, essa prática envolve os cuidados com a produção, manipulação, armazenamento e distribuição, assim como as demais etapas até que o alimento chegue ao consumidor final. Primar pela qualidade e pela segurança nutricional dos alimentos produzidos é essencial à proteção e à promoção da saúde coletiva.

Proteção da saúde coletiva

Um dos propósitos das normas de segurança alimentar é possibilitar que um alimento seja disponibilizado para consumo em condições ideais. Essas metas objetivam suprir as necessidades nutricionais e proteger o organismo contra enfermidades.

Aumento da qualidade dos serviços

Os empreendedores do ramo alimentício precisam incentivar seus funcionários à adequação das normas que prezam pela qualidade dos serviços em todas as etapas de produção. Nesse contexto, o atendimento às exigências legais em defesa de boas práticas na indústria alimentícia é uma forma de assegurar mais saúde aos consumidores, além de impulsionar a rentabilidade dos negócios.

Logo, os gestores que atuam no ramo de produtos alimentícios devem orientar seus colaboradores e conscientizá-los quanto à relevância da adoção de boas práticas de fabricação de alimentos. Respeitar os princípios determinados pela legislação é uma forma segura de promover a saúde das pessoas e de protegê-las contra as mais variadas doenças que se desenvolvem devido à má qualidade dos processos ligados à produção de alimentos.

Quais são os impactos da adoção dessas práticas na imagem da empresa?

As normas sobre as boas práticas na produção de alimentos são regidas pela Portaria nº 326/1997, da Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde, e pela Portaria nº 368/1997, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Igualmente relevante é a atenção aos requisitos de higiene dos estabelecimentos, à higiene pessoal no ambiente de trabalho e aos requisitos sanitários mínimos exigidos na fabricação dos produtos para consumo humano. Também são avaliados os requisitos de higiene em todos os processos que envolvem a elaboração do produto, o acondicionamento e o transporte das matérias-primas.

Listamos alguns impactos resultantes da adoção dessas práticas. Observe!

Aumento da produtividade

Um dos impactos que logo serão percebidos com a adequação às normas de segurança alimentar é o aumento da produtividade. Quando uma empresa trabalha em conformidade com os princípios legais, a produtividade influencia a lucratividade e a instituição se torna mais sólida e competitiva.

Maior solidez

Além da promoção da segurança alimentar, cumprir os requisitos propostos pelo Regulamento Técnico sobre as Condições Sanitárias assegura maior solidez ao empreendimento. Mais do que isso: auxilia na construção de uma imagem mais positiva da empresa.

Promoção da sustentabilidade

Na contemporaneidade, as empresas se preocupam bastante com a adequação aos princípios sustentáveis. Respeitar o meio ambiente e zelar pela sustentabilidade são diferenciais relevantes para impulsionar o crescimento dos negócios e fortalecer a marca.

Redução de perdas

O cumprimento da legislação que determina os princípios de segurança alimentar também ajuda a reduzir perdas, sobretudo em relação aos processos de higiene. Além de proteger a saúde, a higienização promove a conservação dos produtos e a diminuição das perdas.

Como implementar as boas práticas de fabricação de alimentos?

Para implementar essas estratégias em seu estabelecimento, alguns passos precisam ser seguidos. Primeiramente, é necessário trabalhar as ações preliminares que envolvem a formação de uma equipe interdisciplinar de trabalho. Um dos passos mais importantes é a definição de um coordenador para o programa de BPF. A gestão precisa delegar as funções e promover a conscientização e a mobilização dos colaboradores em relação à importância do programa para o bom andamento das atividades.

Exige-se também um treinamento para desenvolver habilidades e melhorar a capacitação técnica dos colaboradores. Igualmente relevante é a avaliação das condições de infraestrutura, quesito essencial para análise da situação atual da empresa quanto à possibilidade de cumprir os requisitos fundamentais das BPFs.

Fazer um checklist ajuda a perceber os pontos que exigem maior atenção. Uma boa alternativa é se basear na RDC nº 275/2002, elaborada pelo Ministério da Saúde (MS). O documento tem um anexo com a “Lista de Verificação das Boas Práticas de Fabricação em Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos”.

Quais são as medidas de segurança que a Oyshi utiliza na fabricação de seus produtos?

A Oyshi é um exemplo de empresa que já se adequou às normatizações vigentes. O setor de produção conta com as BPFs em todas as fases de fabricação dos alimentos. Todos os procedimentos são feitos em conformidade com a Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC) e também com base no checklist da Global Food Safety Initiative (GFSI).

Percebe-se, por fim, que a adoção de boas práticas de fabricação de alimentos pode ser considerada uma das estratégias mais eficientes para construir uma visão positiva de sua empresa. Portanto, investir nessas ações auxilia a gestão a impulsionar os negócios, já que a adequação às normas previstas na legislação é fundamental ao crescimento e à sustentabilidade dos empreendedores que atuam nesse segmento.

Quer saber mais como adotar essas boas práticas em seu food service? Nos mande uma mensagem, teremos prazer em respondê-los!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-