4 dicas de como reduzir e gerenciar a inadimplência

4 minutos para ler

Inadimplência: como reduzir e gerenciar? Esse, possivelmente, é um dos principais questionamentos no mundo dos negócios. Afinal, as dívidas dos clientes prejudica a saúde financeira da empresa.

A inadimplência afeta o fluxo de caixa e gera grandes prejuízos. Quer ver só? Suponhamos que você recebe um desconto de 10% para comprar insumos à vista, o que diminuiria os seus custos. No entanto, não é possível comprar nesse formato, pois o seu caixa está no vermelho. O motivo? Os clientes não quitaram ainda os boletos em aberto.

Aliás, um número expressivo de pagamentos em atraso pode inviabilizar a continuidade da operação. Em outras palavras, pode levar a distribuidora à falência. Para solucionar essa questão, reunimos a seguir 4 dicas para ajudá-lo a manter as contas dos clientes em dia. Confira!

1. Pesquise serviços de análise de crédito

Consultar os serviços de análise de crédito é uma ação vital para reduzir a inadimplência. A pesquisa pode ser feita por meio de empresas de proteção de crédito. É dele mesmo que estamos falando: Serasa. Também existe o SPC e outras associaçõess comerciais.

Pense bem: se o nome do cliente está negativado em outras empresas, por que você acredita que com você será diferente? É nesse sentido que surge a importância de conhecer bem a saúde financeira do cliente, verificando se existem protestos, pendências e outros problemas de restrição de crédito.

Lembre-se, aqui, de que remediar é a melhor solução. Isto é: caso o cliente esteja com alguma pendência, o melhor a se fazer é evitar a venda — a não ser que seja no cartão ou à vista.

2. Escolha corretamente a data de vencimento

Se o salário do cliente cai somente na segunda quinzena de cada mês, nada mais justo — ou melhor — nada mais sábio do que colocar a data de vencimento próximo do período. Não adianta, por exemplo, colocar a fatura para o primeiro dia do mês, pois existe grande chance dele ficar inadimplente.

Nesse sentido, o mais recomendado é o empresário e cliente verificarem juntos, qual a data mais propícia para quitar o documento. Certifique-se de que o dia estabelecido seja compatível com a realidade financeira do comprador. Isso vai evitar dor de cabeça no futuro!

3. Aposte em lembretes de pré-vencimento

Nem todas os clientes deixam de pagar conscientemente. Existem aqueles, por exemplo, que não quitam o débito na data correta devido ao esquecimento. Eles são desorganizados e esquecem de anotar os seus compromissos.

Por isso, encaminhe lembretes um pouco antes das faturas vencerem — seja por whatsApp, seja por e-mail. Vale, inclusive, analisar a possibilidade de treinar a equipe de vendas para realizar ligações para os clientes perto da data de vencimento.

A equipe pode perguntar se o cliente já está com as faturas em mãos ou se precisa que ela seja enviada novamente. Também é viável abordar quais são as formas de pagamento disponíveis. O importante é ter um pretexto para entrar em contato com o cliente e questioná-lo se está tudo certo para o pagamento.

4. Busque ajuda jurídica

Essa alternativa está longe de ser o melhor caminho. No entanto, caso você já tenha tido um bom diálogo com o devedor, além de tentar várias formas de negociação da dívida e ainda assim não surtiu o efeito esperado, é o momento de procurar seus direitos na justiça.

Saiba, aqui, que essa ação é um dos últimos recursos. Inclusive, antes de tomar essa medida, crie uma política de cobrança efetiva, sobretudo se a inadimplência é algo recorrente dentro da organização.

Quer mais dicas sobre “inadimplência: como reduzir e gerenciar” assim como sugestões para alavancar o seu negócio? Assine nossa newsletter e tenha acesso a conteúdos exclusivos!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

-